Número total de visualizações de página

4 de fevereiro de 2017

Reutilizar, Reciclar, Reaproveitar

A segunda bicicleta verde.

Quem se dedica a algo em particular acaba por acumular peças fora de uso.
Uma das coisas de que gosto é de bicicletas.
Gosto de andar nelas e gosto de mexer nelas.
Por isso nos últimos anos tenho abraçado alguns projetos neste ramo, suficientemente bem sucedidos, como por exemplo esta elétrica, esta para a Graça ou esta para os dois. Houve ainda uma para o namorado da minha filha. Era uma bicicleta de montanha, suficientemente bem equipada para permitir umas passeatas pela lama e umas descidas divertidas. Usada apenas duas vezes, os amigos do alheio gostaram tanto dela que a resolveram subtrair da minha garagem mesmo antes de eu ter tempo para uma sessão fotográfica. Um revés que me trouxe à estaca zero no que diz respeito a poder ir passear com o rapaz. Fica aqui expresso o meu desejo de que se mandem por uma ribanceira abaixo. Com força.
Com o regresso do Inverno e portanto com mais tempo em casa, questionei-me que projeto poderia abraçar.
Um amigo, ao arrumar a arrecadação onde guarda o lixo, preparava-se para deitar fora um quadro de montanha, velho, amassado, arranhado, sujo e feio, mas em alumínio e reforçado. Fiquei com ele.
Desci à minha garagem e recolhi todo o material também velho, usado, obsoleto, avariado ou esquecido que por lá havia.
Juntei uns rolamentos de direção novos, uma folha de lixa e uma lata de tinta em spray.
Mexi tudo muito bem com a ajuda de ferramentas adequadas, mãos sujas de óleo e a utilização tolerada pela minha mulher de uma divisão cá em casa.
Duas semanas depois surgia uma bicicleta pronta para andar na terra. Verde como a Francisca gosta. Tem um tamanho um pouco pequeno para o rapaz, por isso decidi que a iria oferecer à minha filha. É o tamanho certo para ela e com o espigão de selim longo que instalei e um guiador com elevação, vai servir também para o namorado dela. Partilham.
Vejam lá se gostam, então.

 

 

 










 


 
 



Agora é andar um pouco com ela e fazer as afinações finais.
Obrigado ao Bob da Horta das Vespas pelo quadro, dicas e afinações finais.





Sem comentários:

Enviar um comentário