Número total de visualizações de página

15 de novembro de 2010

EICMA 2010 e a LML

A EICMA é reconhecidamente uma das maiores feiras mundiais do sector, se não a maior, habitualmente visitada por milhares de amantes das duas rodas e de profissionais do sector. Daí a presença massiva dos fabricantes com uma forte aposta aposta na imagem, respondida pelo interesse inquestionável do público que enchia os gigantescos pavilhões da feira.

Houve imenso para ver e também o há para contar e a minha vontade inicial até era mostrar-vos as fotos todas e deixar-vos fazer a escolha.

Mas afinal não. Prefiro dividir em “capítulos” tentando mostrar-vos o que mais me impressionou em cada área ou marca.

Assim tenho indiscutivelmente de começar pela… LML. Surpresos?

LML porquê?


Simples, no mundo das scooters clássicas/contemporâneas a LML tem sabido como ninguém escutar o mercado e progressivamente corrigir alguns pontos menos bons ao mesmo tempo que tenta ajustar a sua gama de produtos aos pedidos do mercado.
Senão vejamos:
Dotada de um espaço generoso e dinâmico, pontuado por cor, musica e novidades, a LML destacou neste salão as novas Star i 125, 150 e 200, as séries limitadas Mat Series, Star RS, Star GT, Bicolor Vintage, Star Art e Star Corsa, uma nova gama Star a 4T sem injecção, um restyling das 2T e ainda um protótipo Star Electric, prevendo já este novo mercado.



Aqui em relação aos Mat uma pequena consideração. Sei que é moda e moda é mesmo assim, mas todas as pinturas mat que vi, tanto da LML como de outras, estavam sempre sujas e marcadas com "dedadas" parecendo ainda muito sujeitas a riscos. Apesar de até gostar da verde que está acima, não me parece que uma pintura destas seja fácil de manter.

Esta 200 a 4T é efectivamente o futuro e um futuro próximo. Será concerteza uma bomba e ainda por cima económica. Não sei se vem com o acessório em cima do banco, mas gostava de saber.


Confesso que foram as que menos gostei. Bicolor até pode ser um conceito giro, mas estas combinações não me agradaram

Gosto. Com a condutora certa e tirando as estrelas.


Duas bombas numa. Uma preta e outra azul. Fiquei indeciso em qual centrar a minha atenção. Receio ter de admitir que estou quase a gostar de tunings. A potência, o conforto...

Star Electric:
Pena que este protótipo não fosse mais que uma LML a combustão a que trocaram o motor, não existindo sequer um painel de instrumentos adequado ao sistema ou qualquer aligeiramento da estrutura com vista a diminuir o peso e até porque sem o pesado motor de combustão existem áreas que não precisam ser tão fortes.

O interruptor de Liga/Desliga e a tomada de carga estão perto do local da torneira da gasolina e o buraco desta está (mal) tapado com massa. As prestações são fraquíssimas.

1 comentário:

  1. Claramente o stand mais dinâmico e aguerrido no sector scooter na EICMA deste ano. O importador italiano está a alavancar a marca em seu proveito, mas disso também vão beneficiar os restantes importadores europeus. A solução eléctrica apresentada é um flop, de resto estão no bom caminho.

    ResponderEliminar